sexta-feira, 11 de abril de 2014

VOCÊ É BONITO(A) ?

Não é a primeira vez que encontro na internet artigos, reportagens ou opiniões de pessoas que medem a beleza pelo biotipo das pessoas, ou pela sua cor, ou pela sua raça e por aí vai. O mais interessante disso tudo é que as pessoas leem isso, consomem isso, acreditam nisso e aquelas que não se encaixam no padrão acabam sofrendo muito, pois em primeiro lugar, não se aceitam e depois pensam que as pessoas também não aceitam elas como elas são. Eu sempre acreditei nas blogueiras, nas propagandas que as blogueiras fazem porque vejo que muitas delas não são milionárias e têm o mundo aos seus pés. Os produtos ou as receitinhas que elas sempre indicam realmente funcionam e você não precisa ser tão rica assim para ter o mesmo resultado que uma celebridade tem em um tratamento nesses spas caríssimos. Mas há um produto que me chama muita atenção no mercado, pois não usam biotipos como Gisele Bündchen ou qualquer outra modelo ou atriz famosa que saem diretos em propagandas de roupas e cosméticos - aliás eu duvido que essas celebridades usem o que são compradas para propagar. Essa marca usa mulheres normais, como eu e você, e seus produtos são de ótima qualidade e bem acessíveis, a marca que falo é a DOVE. Acho que vocês também já perceberam que a DOVE em suas propagandas apresentam vários tipos de mulheres: gordas, magras, altas, baixas, brancas, morenas, negras, pessoas jovens e velhas. E com isso essa marca nos passam a ideia que não importa como você é fisicamente, se seu cabelo é liso ou enrolado, mas você pode se sentir linda pelo simples fato de você ser linda assim como é; esse respeito com as diferenças, esse olhar sobre a beleza em seus múltiplos estilos e jeitos. Hoje, ao ver um vídeo no youtube, assistir uma propaganda da DOVE, no começo fiquei chocada, mas o final da propaganda é surpreendente. Vejam no link abaixo:


Isso mostra que você pode ser aquilo que você quer ser, mostra que no que você acredita é como você vai realmente se ver e ser. Em contrapartida há outras marcas no mercado que ao invés de promover essa verdade na vida das pessoas, iludem elas com ideologias falsas, que só promovem a baixa auto-estima das pessoas. Será mesmo que eu só posso me considerar ''alguém'', se eu tiver o cargo X, na empresa Y? Se eu nasci no país tal? Se eu tiver uma boa quantia de dinheiro na conta ou se eu estiver vestindo 38? Bem eu acho que não. Não posso negar minha etnia ou minha condição social ou o que quer que seja, não posso medir meu valor por esses preceitos ditos por uma mídia capitalista e preconceituosa. Vejamos essa propaganda da AVON:


Bem, eu nem sei como falar da infelicidade da pessoa que escreveu esse roteiro, e depois, o rímel que eu passei vai disfarçar o ''balão hélio'' que eu sou. Penso que isso é uma prova concreta do preconceito com pessoas acima do peso que ainda é forte na nossa sociedade e está aí a prova disso. Imagino quantas jovens de 12 pra 15 anos ainda em formação que assistem essas coisas e sofrem com sobrepeso como devem se sentir e se torturar ao escutar esses tipos de ideologias a respeito da pessoa gorda... E como se não bastasse olha a reportagem ''belíssima'' que a revista glamour publicou, aliás, revista muito bem conceituada no mercado e bastante lida entre mulheres e jovens, confiram: 

  
Quer dizer que por estar acima do peso eu não posso mais ficar na praia com as pessoas e tenho que me esconder nas crianças e quando tiver calor eu terei que me enterra em um buraco na areia? Tenha dó minha gente, como é que as pessoas ainda compram uma revista dessas? O pior ainda acreditam nisso? Por que o gordo não poder se expor na praia assim como o magro? É um absurdo. Fora que se você ler a matéria toda você fica horrorizado (a), por que eu só posso ser uma pessoa moderna, chique ou o que quer que seja se for ''tipo o Dudu Bertholini", não pode ser tipo eu mesma não? Por que eu preciso me passar por ''rica do resort''? Por que essa necessidade? Aí você deve estar se perguntando, essa menina deve ser gorda e de classe média pra estar escrevendo isso, sim sou! Mas isso não me faz menos feliz, menos valorizada, menos amada... Meu biotipo, minha classe social, minha etnia, minha religião são aspectos que me fazem ser quem eu sou, e não ser melhor ou pior que as outras pessoas, apenas eu! A matéria completa você pode ver aqui: http://revistaglamour.globo.com/Lifestyle/noticia/2013/12/manual-de-autoajuda-das-ferias.html. Aliás a matéria completa é absurda. Deixo aqui para finalizar esse meu pensamento a respeito das coisas que vejo, meu parabéns a DOVE, com certeza uma marca humana e que merece todo o meu respeito, que indico, que uso e que admiro, parabéns DOVE por esse trabalho que vai além de simplesmente vender seus produtos, mas de fazer as pessoas enxergarem a beleza que cada um tem do jeito que é.


Flavinha

。◕‿◕。

Nenhum comentário:

Postar um comentário